domingo, 12 de dezembro de 2010

Os 178 Anos do Supremo Conselho do Grau 33 para o REAA


O Registro dos 178 anos do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o Rito Escocês Antigo e Aceito, transcorridos no último dia 12 de novembro.

Sua importância se dá por fazer parte não somente da história da Maçonaria, mas da história do Brasil. Sua estrutura arquitetônica, no Campo de São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro, e suas repartições internas são dignas de serem consideradas verdadeira obra de arte, tamanha a sua beleza e riqueza, desde o mobiliário às cores de suas salas, museu, biblioteca, Câmaras, tudo com muito requinte e beleza.

Sendo este importante órgão pessoa jurídica de direito privado e uma instituição maçônica de caráter iniciático, filosófico, educativo e filantrópico, sem finalidade lucrativa, com jurisdição em todo território nacional, é digno de ser visitado pelo público em geral e, principalmente, pelas escolas, para que a juventude possa conhecer esse importante monumento situado na Cidade Maravilhosa.

Sua importância para a Maçonaria se dá pelo fato de lá ter sido a sede do Grande Oriente do Brasil, quando situado ainda na Rua Lavradio, 97, até o ano de 1976.

É uma Potência regular, legal, legítima e reconhecida internacionalmente, com vistas à integração da Maçonaria Universal em acordo e respeito aos seus postulados próprios.

Conforme consta de seu site oficial, sua fundação, “em 12 de novembro de 1832, deu-se por intermédio de FRANCISCO GÊ ACAIABA DE MONTEZUMA, o Visconde de Jequitinhonha, autorizado que fora por uma Carta-Patente expedida em 1829 pelo então Supremo Conselho dos Países Baixos, atual Bélgica, quando Montezuma se encontrava exilado na Europa desde 1823, em face de seu descontentamento com a situação política à época reinante no governo do Império.

Em seu retorno ao Brasil, em 1831, após abdicação de D. Pedro I, pôde Montezuma desenvolver todos os atos necessários para a instalação do nosso Supremo Conselho, o que veio a ocorrer no ano seguinte.

Sua doutrina, que tem por base as Grandes Constituições Gerais de 1762 e 1786, com as resoluções aprovadas em congressos internacionais posteriormente realizados, é fundamentada na hierarquia de 33 (trinta e três) graus do Rito Escocês Antigo e Aceito, sob o lema ‘DEUS MEUNQUE JUS’”.

O Supremo Conselho do Brasil é administrado por um grupo de membros denominado Sacro Colégio, presidido e dirigido por um Soberano Grande Inspetor Geral do Rito, com o título de Soberano Grande Comendador, eleito pela maioria absoluta dos membros dessa Administração.

Atualmente, é conduzido sob a batuta competente do Soberano Enyr de Jesus da Costa e Silva.

Como Membro Efetivo, a partir de 2011, terei a honra de colaborar diretamente com a Secretaria de Cultura do Supremo Conselho e participar de modo mais atuante na revista “Graal”, com a publicação periódica de textos históricos da ARS – Quatuor Coronati, que s
erão traduzidos para a língua portuguesa.

No dia 3 de dezembro de 2010, tomei posse da cadeira nº 12 da Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras do Grande Oriente do Brasil e fui agraciado com o Diploma de Membro Fundador da referida Instituição.

Escolhi como nome, “Montezuma”, numa homenagem ao Supremo Conselho, pela oportunidade e carinho que tem recebido dessa Instituição, na pessoa ilustre do Soberano Enyr de Jesus da Costa e Silva, que tem conduzido o Supremo Conselho com todo empenho, não medindo esforços para que o trabalho seja sempre o melhor possível.

Parabenizo, portanto, todo esse trabalho digno de louvor, e saúdo o nosso Soberano Enyr de Jesus da Costa e Silva, todos os seus Delegados Litúrgicos e Diretores dos Órgãos e Corpos, bem como os seus Membros do Sacro Colégio e Membros Efetivos do Supremo Conselho:

1. Alberto Mansur,
2. Alvaro Francisco Canastra,
3. Antonio Carlos Barbosa Ramos,
4. Bernardino Coelho Pontes,
5. Bruno de Bonis,
6. Carmelino Souza Vieira,
7. Cid Ney Filardi Ramos,
8. Cláudio Roque Buono Ferreira,
9. Edeson Domingos de Oliveira Rosa,
10. Emílio Sanches Dimitroff,
11. Gilson da Silva Monteiro,
12. Henrique Miranda dos Santos Moura,
13. Hudson Domingos Apolônio,
14. Ignácio Queiroz,
15. João Luiz Torres Neto,
16. Josué Morais de Oliveira,
17. Laurentino Quintão Souza,
18. Mario Sergio Nunes da Costa.
19. Nilson dos Reis Leitão,
20. Olavo de Oliveira,
21. Otacílio Rodrigues de Alcântara,
22.Paulo Cesar Alves Bernacchi,
23. Porfírio Rodrigues Câmara,
24.Stenelio Rodrigues de Freitas,
25.Wilson Corrêa de Souza Neto,


Fraternalmente,
Wagner Veneziani Costa
Membro Efetivo do Supremo Conselho do Brasil do Grau 33 para o REAA








































Nenhum comentário:

Postar um comentário